Por maior que seja, o pecado não passa de uma gota d'água no oceano da misericórdia infinita de Deus (Antonio Luiz Macêdo)..

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Diário Espiritual – Orando com o Livro de Provérbios 11,18-25



18O ímpio obtém um lucro falaz, mas o que semeia justiça receberá uma recompensa certa.19Quem pratica a justiça o faz para a vida, mas quem segue o mal corre para a morte.20Os homens de coração perverso são odiosos ao Senhor; os de conduta íntegra são objeto de seus favores.21Na verdade, o iníquo não ficará impune, mas a posteridade dos justos será salva.22Um anel de ouro no focinho de um porco: tal é a mulher formosa e insensata.23O desejo dos justos é unicamente o bem; o que espera os ímpios é a cólera.24Há quem dá com liberalidade e obtém mais. Outros poupam demais e vivem na indigência.25A alma generosa será cumulada de bens; e o que largamente dá, largamente receberá.

VERSÍCULO DESTAQUE: 25A alma generosa será cumulada de bens; e o que largamente dá, largamente receberá.

Azul= Princípio Eterno
Verde= Promessa de Deus
Vermelho= Ordem de Deus

Paz e Luz
Antonio Luiz Macêdo

Leia as nossas obras:

quarta-feira, 25 de abril de 2018

: Os Papas da Igreja – São Clemente I



Número: 4

Início do pontificado: 88

Final do pontificado: 97

Nacionalidade: Romano (da capital Roma)

Tempo de pontificado: 8 ou 9 anos (c)

Nome em latim: Clemens

Notas: Canonizado

Resumo: São Clemente I, também conhecido como Clemente Romano, foi o quarto papa do Cristianismo da Igreja Romana, entre 88 e 97. Nascido em Roma, nos arredores do Coliseu, de família hebraica, foi um dos primeiros a receber o batismo de São Pedro. Foi sucessor de Anacleto I e autor da Epístola de Clemente aos Coríntios, talvez o segundo documento de literatura cristã, endereçada à Igreja de Corinto. Ele foi considerado posteriormente o primeiro Pai da IgrejaApostólica Romana por ter defendido publicamente o sistema religioso através da hierarquia sacerdotal e rituais dogmáticos.

Wikipédia: a enciclopédia livre

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

terça-feira, 24 de abril de 2018

Terços - Terço da Milícia Celeste


NO INÍCIO: Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.

NAS CONTAS GRANDES: Glória-ao-Pai.

NAS CONTAS PEQUENAS: São Miguel, São Gabriel, São Rafael, nosso Anjo da guarda e toda a Milícia Celeste, rogai por nós.

ORAÇÃO FINAL: São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, Príncipe da Milícia Celeste, pelo divino poder, precipitai no Inferno Satanás e todos os espíritos malignos que andam pelo mundo para perder e condenar as almas. São Miguel, São Gabriel, São Rafael, nosso Anjo da guarda, rogai por nós.

Superdicas & Mil Ideias


Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Orações - Oração pelos descendentes



Deus, Pai todo poderoso, confiando nesta tua promessa, quero com o coração transbordando de amor, consagrar todos aqueles que ainda não existem, mas que hão de existir ao longo dos tempos, continuando a minha descendência. Na consagração feita pelos meus antepassados, como também na consagração pelos familiares aqui presente, termino agora consagrando toda a minha linha de família, através dos sobrenomes que eu conheço:
Abba, Pai do Céu, em nome de Teu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, aqui selamos nossa oração por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Rainha dos Anjos e de São Miguel Arcanjo, Príncipe da Milícia Celeste.
Amém

Catequese Católica

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:



domingo, 22 de abril de 2018

A Sagrada Liturgia - Livros Litúrgicos: Missal



Os primeiros cristãos guardavam os livros sagrados com todo o cuidado e não permitiam que caíssem nas mãos dos infieis. No tempo das perseguições, o ato de entregá-los às autoridades pagãs era considerado uma fraqueza. Os nossos livros litúrgicos, à semelhança dos demais objetos utilizados no culto divino, devem ser ornados de tal forma que apontem para o tesouro que eles encerram: a Palavra de Deus.
São usados normalmente dois livros litúrgicos: o missal, no altar, colocado perto do corporal, e o Lecionário, no ambão, para as leituras.

Missal - Livro utilizado pelo sacerdote.
A Hora da Missa

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

sábado, 21 de abril de 2018

Maria de muitos nomes - Nossa Senhora da Abundância ou Nossa Senhora da Romã



A sua festa ocorre em duas datas: 15 de agosto e 05 de janeiro.

A cidade é Paestum e está situada no Golfo de Salerno, sul da Itália, cuja capital é Nápoles.

A partir da metade do século VII antes de Cristo, chegaram os agricultores gregos e fundaram a cidade Poseidonia, além de vários santuários. O mais importante era o da deusa Hera Argiva, adorada como a Verdadeira Senhora por ser a esposa do deus supremo do Olímpo.

Graças às excelentes condições geográficas, a cidade prosperou muito, se desenvolveu e seus templos ganharam fama em toda Grécia. Quatro séculos depois, Roma tomou posse da região e fundou uma colônia latina dando à cidade seu nome definitivo: Paestum.

O cristianismo foi introduzido na região no século II e o culto à Virgem Maria, Mãe de Deus, contrapondo-se à antiga adoração à Hera Argiva. Paestum foi destruída no século VII por invasores muçulmanos e se tornou numa das fascinantes relíquias arqueológicas do mundo.

Os habitantes sobreviventes, junto com seu bispo, foram para o monte Calpazio. Situado nos confins da planície de Paestum, defronte ao Golfo de Salerno, era um lugar mais seguro às constantes invasões. Assim, fundaram uma nova cidade chamada Capaccio e construíram a igreja dedicada à Santa Maria, Mãe de Deus.

No século XI, Capaccio adquiriu o mesmo poder que tivera Poseidonia. A igreja magnificamente ampliada assumiu a condição de Catedral e sede episcopal da diocese de Paestum-Capaccio. Neste Santuário, os fiéis devotavam à imagem da Virgem Maria sentada com o Menino Jesus e que segura na mão direita uma fruta romã aberta como símbolo da Graça, a invocação de Nossa Senhora da Romã ou da Abundância.

Entretanto, em 1247, a Igreja foi destruída junto com a cidade, pelo exército de Frederico II, dando origem às ruínas da Velha Capaccio. Algumas famílias escondidas na vizinha Vila de São Pedro se organizaram e criaram um novo centro urbano conhecido como Nova Capaccio.

Com a transferência do Bispo, a Catedral -Santuário deixou de ser a sede da diocese, mas continuou sendo meta de muitos peregrinos e romeiros de outras localidades.

Após o século XIV, a devoção à Nossa Senhora da Romã era tão popular que o título foi incorporado ao nome do Santuário. A única restauração completa ocorreu em 1708.

O edifício anexo ao Santuário, para acolher os religiosos responsáveis pela preservação do culto, data de 1836 e lhe deu a característica arquitetônica atual.

Desde 1991, a sua reitoria é de responsabilidade dos Carmelitas da Antiga Observância. O culto à Nossa Senhora da Romã ou da Abundância está profundamente ligado às ruínas arqueológicas das antigas cidades, à tradição dos agricultores e à forte devoção popular dos fiéis à Virgem Mãe de Deus, que ainda lhe agradecem a proteção oferecendo romãs

Mãe Amada

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo